De olho no assunto

De Olho

  • nos Filmes
  • Séries
  • Doramas
  • no Assunto!

Destaques

Post Top Ad

Post Top Ad

terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Little Witch Academia | Um anime pra quem tem medo de bruxas

janeiro 12, 2021 0

Bruxastê meus amigos!

Hoje vamos falar de um anime todo fofo que tem animado minhas noites em família, Little Witch Academia.


 

Titulo: Little Witch Academia 
Lançamento: 2017
Dirigido por: Yoh Yoshinari
Disponível em: Netflix
Episódios: 1º temporada 13 / 2º temporada 12
Duração: em média 25 minutos
Também em versão filme e mangá
Sinopse: Akko finalmente se inscreve na academia para bruxas Luna Nova, ela pode não ser a melhor aluna da escola, mas sua atitude incrível é com certeza a chave para o sucesso!


Quem disse que toda bruxa é velha, feia e má?
Eu vinha procurando algum conteúdo onde bruxas não fossem vistas de forma estereotipada foi quando esse anime pulou igual pipoca na minha telinha (achadinho do mozão).
E obviamente não sabia o que esperar dele até assistir o primeiro episódio... A magia aconteceu.
Little Witch Academia é divertido e traz uma nova visão ao mundo da magia assim como também ao arquétipo bruxa.
Pra quem realmente gosta desse universo vai ver toda a simbologia pagã retratada nas aulas de Luna Nova, assim como vai encontrar a representação bruxesca mais fofa que eu já vi.
As cores utilizadas nesta produção são completamente mágicas com predominância do roxinho com tons de lilás que são as cores da magia e espiritualidade.



Quanto as personagens Akko é falante, atrapalhada, grita que é uma o que me faz pensar se ela é geminiana ou sagitariana, mas isso se contrasta com a personalidade de Loti que é romântica e doce assim como a personalidade de Sucy meio sem expressão mas apaixonada por cogumelos envenenados.
E claro não podia faltar uma Daiana com suas daianetes, além da bruxa rebelde, a bruxa comilona, a bruxa invocada, a diretora pulso firme, a professora atrapalhada, tem tudo isso e muito mais.


Este é um anime que conquista, tanto pelos excessos que o tornam divertido quanto pelas lições que traz direto da escola das bruxas.
Se recomendo a resposta é sim.

E você o que acha dessa viagem bruxesca?!
Read More

A ligação | Um filmaço que merece 1h 52 do seu tempo

janeiro 12, 2021 0

Olá meus lindos, espero que estejam ótimos e se cuidando bem!

Hoje vamos falar sobre mais uma obra de arte da Coréia, sei que vocês podem pensar meu deus essa maluca é uma tremenda puxa saco, mas fazer o que se os caras arrasam e tem o dom de transformar até os temas mais clichês em verdadeiras pérolas 😁.


Título: The Call
Formato: Filme
Ano produção: 2020
Baseado em: The Caller filme de 2011
Duração: 1h 52m
Dirigido por: Lee Chung-Hyun
Gênero: Thriller
Elenco: Park Shin-hye e Jeon Jong-seo
Disponível na Netflix 

O filme 

Kim Seo-yeon retorna a casa onde viveu durante a infância e percebe que algo de errado não estava certo, depois de começar a receber ligações em um telefone fixo que existe na residência  ela conhece uma jovem chamada  Oh Young-sook que vai mudar completamente sua vida.


Crítica 

Se eu pudesse definir este filme em poucas palavras diria que foi eita atrás de eita!
A ligação chega devagarinho com cara de clichê e acredite engana bem viu, afinal tem telefone, tem casa antiga, tem mãe doente no hospital, tem parede falsa e tem muita criatividade por trás disso tudo.
Se a premissa te engana isso acontece apenas nos primeiros momentos do filme, os produtores souberam surpreender aqueles que imaginavam que seria mais do mesmo.
E claro como todo bom filme coreano este aqui  dispensa pipoca porque ela seria distração em meio a tantos acontecimentos e reviravoltas.
A ligação traz conceitos muito interessantes e explora muito bem cada um deles, foi um combo perfeito.
A fotografia ajuda? Cara como ajuda...
Os ambientes retratam aquilo que precisam retratar, nostalgia, claustrofobia, medo e desespero, além de uma boa dose de mistério.




 Vou me permitir guardar alguns segredos sobre o filme pra não dar spoiler, mas se você quer uma boa dose de suspense e agonia você precisa assistir!
Read More

domingo, 10 de janeiro de 2021

Sweet Home - Quase um Resident Evil coreano

janeiro 10, 2021 0

Cha Hyun-su é um jovem que depois de vários problemas e decepções se vê preparado para tirar a própria vida, mas não imaginaria que nos próximos dias tudo mudaria e ele estaria lutando para sobreviver com todas as forças.


Titulo: Sweet Home
País de origem: Coréia do Sul
Ano de lançamento: 2020
Episódios: 10
Duração: 50 minutos
Elenco: Song Kang,Lee Jin-uk,Lee Si-young
Gênero: Terror Apocalíptico
Sinopse: Quando humanos viram monstros selvagens e espalham o terror, um jovem atormentado e seus vizinhos de apartamento lutam para sobreviver sem perder a humanidade.

Sweet Home é um dorama baseado em um webtoon(quadrinho) do mesmo nome e conta uma história apocalíptica onde os humanos começam a se transformar em monstros violentos. Sem uma explicação direta sobre o que está causando isso podemos perceber que os monstros no qual as pessoas se transformam tem a ver com suas emoções e alguns sintomas como sangramentos, tontura, desmaio e febre mostram que a pessoa em breve se transformará.


A História

Em um prédio colocado em quarentena pelos próprios moradores, várias pessoas lutam para sobreviver evitando com que os monstros cheguem até eles, mas quando alguns dos moradores também começam a se transformar é que a situação que já não estava boa se torna ainda pior.
Cha Hyun-su é um deles, mas ao contrário dos outros ele consegue resistir a transformação e assim acaba sendo usado como um soldado buscando suprimentos dentro do prédio e até lutando contra monstros quando necessário, afinal de contas ele consegue sem se transformar usar uma força fora do comum e também a capacidade de se curar de ferimentos com muita rapidez, características que as autoridades estão procurando para quem sabe conseguir achar uma cura.


É Resident Evil?

Os monstros são bem feitos e fiéis ao webtoon(vi na internet), alguns até lembram alguns monstros da franquia Resident Evil (famoso jogo de zumbis), embora no começo incomoda um pouco a questão da computação gráfica ser bem nítida neles, principalmente nas cenas onde existe velocidade em seus movimentos, quem assistiu Invasão Zumbi 2 sabe do que estou falando, mas depois de uns 3, 4 episódios você já nem liga mais pra isso.


Pra Finalizar...

Por se passar quase todo tempo dentro do prédio e o foco ser mais a sobrevivência, não mostra muito os porquês disso tudo estar acontecendo, e então a cada episódio conhecemos um pouco mais sobre cada morador e seus dramas, claro que tudo isso em meio a muita tensão. Pra quem curte essa temática apocalíptica cheio de monstros, drama, mortes, terror e sangue vai gostar da série, você assiste até o final tranquilamente pois são apenas 10 episódios, e dá a entender que terá uma continuação, e aí quem sabe saberemos um pouco mais sobre o que e o por que isso está acontecendo com os humanos.
Read More

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Soul - Uma viagem necessária

janeiro 08, 2021 0

 Depois de um ano intenso como 2020 esse filme caiu como uma luva...




Título: Soul
Gênero: Animação 
Direção: Pete Docter
País de origem: Estados Unidos
Ano: 2020
Duração: 1h 41m

Joe Gardner é um professor de música  que sonhava em tocar  jazz, quando finalmente teve a chance de impressionar em um ensaio aberto no Half Note Club, acaba sofrendo um acidente que pode mudar completamente sua história.



Soul veio com uma abordagem sutil, com aquele jeitinho encantador pra alegrar a criançada mas sem dúvida pegou em cheio muito adulto desavisado rsrs, porque sim esse filme veio pra abalar as estruturas de uma sociedade futurista.

Crítica

Não costumo falar aqui sobre temas espiritualistas, mas abro a crítica desse filme dizendo que se teve um ano de intenso despertar espiritual na humanidade esse foi 2020 no qual eu me incluo, o que fez com que eu enxergasse Soul na sua pura essência como se viesse confirmando tudo aquilo que o universo buscou nos ensinar.


Mas vamos por partes hehehe...

Logo no início do filme conhecemos Joe um professor de Jazz que embora tenha uma intensa ligação com a música ainda não sente estar vivendo sua missão aqui na Terra, pois acredita que só será completamente feliz ao tocar profissionalmente em uma banda, com isso passa a vida buscando essa realização intensamente.
A questão é que esse desejo era algo tão forte dentro de Joe que acaba sendo levado para o além da vida e "impedindo" que ele siga seu curso natural, deixando o plano espiritual de perna pro ar.


 
As cores utilizadas nessa produção rementem bastante ao espiritual, lilás, tons de roxo e azul, além disso outro ponto muito bacana que é visto aqui é a forma dos espíritos, inclusive isso é muito bem explorado pela própria 22 quando começa a explicar para o Joe que ela pode usar a voz que quiser, ou seja não existe padrões, além disso as autoridades espirituais são ainda mais diferentonas o que reforça ainda mais esse conceito de quebra de padrão nas outras dimensões.

Mas além de ser uma produção de grande sensibilidade, fofura e delicadeza, não faltou espaço pro humor que a criançada adora, porém isso não impediu que esse filme remexesse com nosso conceito do que é viver aqui na Terra também conhecida como 3º dimensão...

Vamos aprofundar... 


Este filme está repleto de mensagens mas claro de acordo com o momento que você vive alguma delas vão ressoar de maneira mais efetiva com você, dessa forma a comunicação da mensagem vai ser clara  porém subjetiva e eu quero compartilhar com vocês qual foi o meu recado particular.

1º O que é missão e propósito?

Missão: incumbência que alguém deve executar a pedido ou por ordem de outrem; encargo.
Propósito: aquilo que se busca alcançar; objetivo, finalidade, intuito.

Certo definimos isso de maneira bem sucinta, mas o que de fato isso tem a ver com o filme e com a nossa vida? Resposta TUDO.

Joe está tão focado em cumprir a sua missão que não consegue cumprir seu principal propósito VIVER, enquanto 22 está tão preocupada em encontrar seu propósito que não consegue cumprir sua missão VIVER, então você pode estar pensando eita que rolo, mas num é a mesma coisa?


A questão é que nós somos espíritos tentando viver aqui na terra não o contrário, e quando pensamos sobre  a essência da vida percebemos que ela vai além de ter uma pseudo missão como ser médico, artista, músico, escritor isso definitivamente não é nossa missão real.

Mas mesmo quando não focamos na missão e vivemos uma busca maluca sobre o nosso propósito também estamos trilhando um caminho longe da essência.

Essa confusão faz com que a gente não aproveite a jornada e se preocupe apenas com o futuro, ou onde vamos chegar, enquanto isso a vida segue passando diante dos nossos olhos todos os dias e nós simplesmente ignoramos.

Então pense quando foi a última vez que você caiu na gargalhada ? Ou sentiu o cheirinho das flores? Ou riu de si mesmo? Abraçou alguém?

É fato que estamos aqui para algo muito mais incrível do que cumprir uma missão, um plano ou propósito, estamos aqui pra jazzar na vida e viver, esse foi uma das principais mensagens pra mim.

Mas é você o que achou do filme? Está jazzando pela vida?

Read More

segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

Save me | Um dorama pra ficar na memória

janeiro 04, 2021 0

Olá meus queridos tudo bem com vocês?!

Hoje nós vamos falar sobre um k-drama de tema intenso que sinceramente mexeu comigo e não foi pouco, bora lá rsrs.



Titulo: Save me
País de origem: Coréia do Sul
Ano de lançamento: 2017
Episódios:16
Duração: 60 minutos
Elenco: Ok Taec-yeon, Seo Yea-ji, Jo Sung-ha, Woo Do-hwan
Gênero: Suspense, Mistério
Sinopse: Quatro jovens tentam salvar uma antiga colega de classe e sua família das garras de uma seita religiosa e seu líder carismático (Disponível na Netflix).

É fato que a dona Netflix que não é boba nem nada já entendeu que tem nas produções coreanas uma mina de ouro e claro o público dorameiro agradece.
A questão é que isso foi além e a aposta foi abrangente, tem k-drama pra todos os gostos, aqueles tradicionalmente românticos, os de terror, fantasia, zumbi, comédia, o que mudou completamente nossa perspectiva fazendo com que a gente percebesse quão promissoras e perfeitas são as abordagens coreanas, os caras arrasam não importa o tema.



Então logo percebi que Save me caiu no gosto da galera e depois de ignorá-lo por tanto tempo resolvi ceder aos seus encantos sombrios.

Sobre 

Sangmi interpretada por Seo Yea-ji é uma bela jovem que junto com sua família saem de Seul em busca de uma vida mais tranquila, mal sabiam que as mudanças drásticas aconteceriam em uma perspectiva que ia muito além da mudança de cidade.
Este k-drama traz temas intensos e mais do que isso confronta nossos pensamentos sobre aquilo que  é  aparente, afinal já se dizia por ai as aparências enganam.



Crítica 

Este foi aquele típico drama de perder o fôlego, os criadores não mediram esforços para carregar essa trama de tensões e expectativas.
Embora tudo acontecesse em torno de um culto religioso que falaremos mais a frente não faltaram injustiças que despertassem na gente aquele justiceiro inconformado.
Quando  vemos um drama desse nível a última coisa que se pensa é com quem a mocinha vai ficar no final, digo isso porque vi muitas pessoas irritadíssimas pela pouca abordagem romântica que k entre nós não deveria ser nem colocada em pauta nessa produção de acordo com a profundidade dos temas abordados.

Aqui teve de tudo, bullying, suicídio, abuso sexual, extorsão, mentiras, e o ponto que mais gostei dentro dessas abordagens é que o palco onde tudo isso aconteceu estava completamente ligado  as consideradas maiores potências de ordem da humanidade, O poder politico e a Igreja.



Ai você pode me perguntar tá mas e o que tem de tão importante nisso!?
TUDO.
A ousadia dos produtores desse drama merece ser reverenciada, mexeram num ninho de vespas que de ficção não tem absolutamente nada, essa série é o retrato da nossa realidade nua e crua.
As atitudes animalescas que acontecem durante os cultos beiram a verdade por trás da igreja moderna, é assustador mas completamente real.
E dentro disso um ponto que merece nossa atenção é o fato de que as pessoas são completamente manipuladas e aqueles que vão contra a verdade absoluta são demonizados e rejeitados, acredite com conhecimento de causa é exatamente assim que acontece, por trás do rosto risonho e gentil do Pai espiritual se escondia algo que muitos não conseguiam ver.



Confesso que ao assistir cada episódio me questionava a respeito dos exageros cometidos, fosse no comportamento dos fiéis, ou do pai da SangMi e por vezes tentei entender porque tudo era tão intenso e lunático, levando em conta que passei anos da minha vida frequentando templos e nunca havia notado algo tão surreal, foi então que percebi que tudo era real mas quando se está inserido nas práticas somos levados a crer nos movimentos e talvez essa intensidade empregada pelos autores era realmente pra causar esse desconforto e provocar os questionamentos certos.
Dessa forma digo com toda certeza EU ADOREI ESTE K-DRAMA, claro levando em conta as reflexões e não acolhendo a idéia como um ataque a essa ou aquela religião.

Em contexto mais técnico preciso destacar a atuação de Seo Yea-ji que foi aquilo meu deus 😱.

Save me é intenso, angustiante e perfeito vale a pena ver de novo 💓

Read More

sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Strangers from Hell - Quer conhecer o inferno?

dezembro 04, 2020 0


Hoje a coisa é intensa, uma série coreana, mas não pense que terá romance, risadas ou coisas fofas, esse KDrama passa bem longe disso, é só para os fortes.





Titulo: Strangers From Hell
País de origem: Coréia do Sul
Ano de lançamento: 2019
Episódios:10
Duração: 60 minutos
Elenco: Lee Dong-wook, Yim Si-wan, Lee Jung-eun 
Gênero: Suspense Psicológico
Classificação: 18 anos 
Sinopse: Situações desagradáveis perturbam a vida de um aspirante a escritor quando ele se muda para um prédio cheio de vizinhos suspeitos.
Disponível na Netflix

Enredo

Yoon Jong-u é um jovem que arrisca todas suas fichas indo para Seul trabalhar como estagiário na empresa de um amigo, devido a falta de dinheiro Jong-u procura lugares baratos para poder morar por um tempo, até que finalmente encontra uma pensão bem em conta, a Pensão Éden, um lugar nada agradável, sujo, feio, sem muita privacidade, mas Jong-u não imaginaria que isso seria o menor de seus problemas. Todos os seus vizinhos são simplesmente bizarros, cada um com suas características peculiares, o que deixa o ambiente ainda mais tenso de se viver. Mas um dos moradores, Seo Mun-jo parece ser mais "normal", então ele se aproxima de Jong-u e por causa de um gosto em comum por romances criminais eles acabam criando uma certa amizade, mas com o passar do tempo Jong-u começa a perceber uma obsessão de Mun-jo por ele.
Como se morar naquela pensão horrível já não fosse perturbador o bastante, Jong-u passa por situações estressantes no trabalho, problemas com a namorada, e ninguém está disposto a ouvi-lo, o que faz com que ele questione a sua própria sanidade.


Na pensão coisas estranhas começam a acontecer, pessoas desaparecendo, barulhos em um andar abandonado, e Jong-u ainda desconfia que estão entrando no seu quarto e mexendo na suas coisas, mas de nada adianta sua desconfiança pois ali todos parecem passar o pano um para o outro, mas Jong-u está disposto a descobrir o que está acontecendo na pensão embora ele gostaria era de sair daquele inferno mas algo sempre faz com que ele acabe voltando.




Crítica

A série é bem compacta, tanto em questão de personagens como ambientação (que dificulta eu contar mais para vocês sem dar spoiler), é a pensão, delegacia, rua, trabalho, e nada muito além disso, mas isso não é um defeito, pois faz com que você entre realmente na rotina de Jong-u e sinta o que ele está passando, mas o destaque positivo para mim (negativo para outros) fica para o seu estilo, tenso, sofrido e sanguinolento. Com características de filmes como Jogos Mortais, Hannibal, ou até mesmo lembrando a tensão do filme coreano Eu vi o Diabo essa série é um prato cheio para fãs do gênero. Ah, e eu não posso esquecer de dizer que o seu desfecho é bem interessante e surpreendente.

Comentário extra

Maior parte do publico fã de dorama acaba sendo do sexo feminino, por ter uma infinidade de doramas românticos, mas você homem que acha que dorama é só para mulheres está completamente enganado, claro que vai de gosto, se você não gosta de romance você não vai querer assistir um dorama romântico, mas não pense que dorama se resumi apenas a romance, este post prova isso, e não só doramas(séries), os filmes coreanos costumam ser ótimos também, antes mesmo da minha esposa começar a gostar de doramas eu já conhecia e era fã de filmes coreanos. E hoje em dia principalmente pelo filme Parasita ter ganho o Oscar as obras coreanas vem ganhando uma maior notoriedade. Portanto se você ainda não se aventurou nas obras coreanas não perca tempo, você não sabe o que está perdendo, seja assistir uma comédia romântica com a esposa ou algo mais tenso de tirar o folego, sem dúvida você não ira se arrepender. #FICAaDICA
Read More

segunda-feira, 16 de novembro de 2020

O sono da morte | Você está pronto pra isso (Análise com spoiler)

novembro 16, 2020 0
Olá você que dorme tarde porque fica enriquecendo a dona do Tudun, cês estão bonzinho!?

Hoje nós vamos falar sobre mais uma estreia da Netflix "O sono da morte" de Mike Flanagan, e já te adianto que me levanto em defesa do Flanagan porque o pessoal tem pegado pesado com o cara.
Então simbora.



Título: O Sono da Morte
Formato: Filme
Ano produção: 2016
Duração: 1h 37m 
Dirigido por: Mike Flanagan
Gênero: Terror
Elenco: Kate Bosworth, Thomas Jane, Jacob Tremblay, Annabeth Gish, Dash Mihok, Kyla Deaver
Sinopse: Jessie (Kate Bosworth) e Mark (Thomas Jane) Hobson adotam uma criança chamada Cody (Jacob Tremblay) após a morte de seu filho Sean. Algum tempo depois eles descobrem que os sonhos de Cody podem se tornar realidade, mas seus pesadelos são mortais.


O filme

O casal Jessie e Mark ainda vivem o luto pela perda de seu único filho, luto esse que ganha força quando percebem que não poderiam ter outro filho pro vias normais, recorrem a terapia em grupo e buscam por uma nova solução que os auxilie a curar essa dor, a adoção.
Do outro lado vemos Cody uma criança de 8 anos que vem passando por diversos lares adotivos sem sucesso depois da morte da mãe, e que agora é encaminhado mais uma vez a uma nova família quer terror maior que esse?



Crítica

Gente vamos lá...
Como você encara o terror? O que é o medo pra você?
Preciso sugerir que você pense sobre isso porque acho que perdemos um pouco a sensibilidade sobre esse assunto.
Eu sempre procuro ler algumas críticas antes e depois de ver os filmes (simplesmente porque sim), e tenho me deparado com comentários completamente descontextualizadas dizendo que mais uma vez Flanagan errou a mão na produção de seus filmes e por conta disso acabam desprestigiando o trabalho que ele tem apresentado.




Penso que ao contrário da grande massa, Flanagan tem um jeito peculiar de ler o medo e por isso é tão incompreendido, ele não está tão preocupado em seguir o clichê mas sim em espelhar a alma humana  trazendo a tona medos que são corriqueiros como o medo da morte, medo da nossa própria sombra animalesca, medo da solidão, entre outras palavras ele parece querer representar um medo real sobre coisas reais.




Neste filme vemos duas situações sendo exploradas,  a de Jessie e a de Cody.
Jessie que vive o luto pela morte de seu filho (detalhe morte acidental), que desperta nela o medo de que o mesmo aconteça ao Cody, mas paralelamente seu desespero a leva a "usar" Cody para rever seu filho porque a falsa sensação de realidade a conforta, dá pra perceber a quantidade de fantasmas que a assombra.
Em contrapartida vemos Cody uma criança inocente que perde sua mãe para o câncer e cria em sua mente um monstro porque ainda não estava pronto pra lidar com a realidade dura da perda.
Quer viver um filme de terror pior que esse?



O que acontece é que nós estamos em busca do terror externo porque não estamos sendo capazes de lidar com o nosso próprio filme de terror interno, esse filme que a gente passa a vida toda ignorando, então quando vemos uma produção que nos confronta o classificamos como não tão bom, afinal inconscientemente esses medos já fazem parte de nós.
Por esse motivo acho genial a forma de representar o medo que Flanagan transmite na minha opinião é necessário muita sensibilidade para produzir algo assim.

Mas claro este não é o único motivo que me encanta nos filmes do cara...
Adoro os fantasmas escondidos, a fotografia, a mise en scene e desculpe todo o resto também.
Isso não quer dizer que foi tudo perfeito, porque não foi, mas isso se refere aos detalhes técnicos que na maioria das vezes são imperceptíveis aos leigos.

O sono da morte é um bom filme e se você assistir  com carinho pode descobrir muito sobre você mesmo.

PS: Antes que eu me esqueça uma das vitimas dos sonhos de Cody vai parar em um sanatório, está pessoa por muito pouco não mata a pobre criança, o que pra mim reforça muito mais a ideia de que aquilo que a gente não domina a gente elimina, joga pra baixo do tapete, pense a respeito.

Read More

Post Top Ad