De olho no assunto

De Olho

  • nos Filmes
  • Séries
  • Doramas
  • no Assunto!

Destaques

Post Top Ad

Post Top Ad

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Hey Ghost, Let's Fight | Pode vir, fantasma - Resenha

agosto 12, 2020 0
Oi gente, tudo bem?!

Hoje vou compartilhar com vocês a resenha de mais um Dorama 😍, por que sim doramas me fazem feliz.
Esse k-drama surpreende, conquista e emociona, é daqueles que a gente vira a noite maratonando.
Estão prontos? Então bora lá. 

Pode Vir, Fantasma - 싸우자 귀신아 - Assista episódios inteiros de ...


Titulo original: Hey Ghost, Let's Fight 
País de origem: Coréia do Sul
Ano de lançamento: 2016
Episódios:16
Duração: 60 minutos
Elenco: Ok Taec-yeon, Kim So-hyun e Kwon Yul
Gênero: Romance,Drama, Terror e Mistério
Hey Ghost, Let's Fight conta a história de Park Bong-pal um universitário que além de muito inteligente tem uma peculiaridade: consegue ver fantasmas e mais que isso, consegue meter porrada neles.
É claro que isso o tornava diferente dos colegas, mas apesar de sentir-se assim usava seu dom em benefício próprio trabalhando como exorcista.
Em uma dessas empreitadas Bong- pal conhece Kim Hyun-ji uma pseudo fantasma que em busca de explicações sobre sua morte acaba unindo-se ao rapaz e vivendo várias histórias emocionantes.

👻👻👻.(recomendado)para los que disfrutaron del drama 👻👻 Let's ...


Resenha

Sabe aquele dorama que te deixa de coração apertado quando termina? Hey Ghost, Let's Fight sem dúvida é esse tipo de dorama.
Apesar de ser pura fantasia este k-drama traz tudo aquilo que a gente mais ama na medida certa, inclusive o romance, aaaaaaaaaaa o romance.
A história de Park Bong-pal é aquela que conquista ao mesmo tempo em que encanta, o menino órfão de mãe que supera as dores e dificuldades da vida e cresce intelectualmente, um belo clichê não é mesmo?! Mas é aquele clichê completinho que não deixa pontas soltas e que se mistura muito bem com as surpresas e as novidades.
Os personagens são apaixonantes e ficam na memória pela profundidade que apresentaram, é claro que alguns deles não tem sua história completamente revelada mas não importa, eles tem carisma e tornam-se interessantes ainda assim.

Let's Fight Ghost – K-drama – ~Kelen Vasconcelos~

O vilão é um misto de mistério e perfeição, o genro pra sogra nenhuma botar defeito, mas  é  também o exemplo típico de que as aparências enganam, olhe para esse moço e pense no inimaginável.

Let's Fight Ghost – K-drama – ~Kelen Vasconcelos~

No mais a produção conta com muita sensibilidade e também uns furos de roteiro é verdade, se procurarmos vamos encontrar vários deles, mas Hey Ghost, Let's Fight é aquele drama que você assiste com o coração e ponto.
Muitas vezes melhor que analisar detalhes técnicos é compreender a mensagem que todo o conjunto da obra deseja nos passar, e que mensagens!
Hey Ghost, Let's Fight fala sobre sentimentos, vida e morte, e de uma maneira simples e profunda traz reflexõ fala sobre sentimentos, vida e morte, e de uma maneira simples e profunda traz reflexões que valem muito a pena ser observadas.


Bring It On Ghost Kim Sohyun GIF - BringItOnGhost KimSohyun Smile ...

Outro ponto que vale a pena comentar é que se você gosta de doramas com finais fechadinhos  que dispensem uma segunda temporada, Hey Ghost, Let's Fight foi feito pensando em você.

Este post é pra aguçar sua curiosidade porque sim  vale a pena cada minutinho desse drama.
Logo mais farei um post com spoiler para acompanharmos mais profundamente esta história, enquanto isso assista e me diga aqui nos comentários o que achou.

Beijin




Read More

sábado, 1 de agosto de 2020

Tempo de caça | Um filme de ação de roubar o fôlego

agosto 01, 2020 0
Se você gosta de analisar filmes além do roteiro, o escolhido de hoje é um prato cheio, MAS se você encara filmes apenas como entretenimento também não será decepcionado, vamos falar sobre Time to Hunt.

Crítica | Tempo de Caça – O 'Exterminador do Futuro' Sul-Coreano ...

Título: Time to Hunt | Tempo de caça
País: Coréia do Sul
Ano produção: 2020
Duração: 2h 24m
Direção : Yoon Sung-hyun
Gênero: Ação, Suspense policial
Elenco: Lee Je-hoon, Ahn Jae-hong, ChoiWoo-shik, Park Jung Min
Sinopse: Três criminosos planejam um roubo para fugir para um paraíso distante, mas acabam chamando a atenção de um assassino impiedoso.

Tempo de caça nos apresenta uma Coréia devastada, endividada, repleta de pessoas beirando a miséria e três rapazes que não se contentam com a situação atual.
Jun-seok acabou de sair da prisão e ao perceber a situação na qual se encontra convoca seus dois inseparáveis amigos para praticar um roubo a fim de partirem para o Taiwan em busca de uma vida melhor, o alvo é uma casa de jogos ilegais, escolha que pode custar suas vidas.

                                      TEMPO DE CAÇA Netflix ⭐ Novo Filme Coreano é bom? Vale a Pena?

Crítica

Yoon Sung-hyun é um jovem diretor coreano que tem ganhado destaque por suas produções, e não poderia ser diferente, apesar de ainda não conhecer grande parte do seu trabalho o filme Time to Hunt sem sombra de dúvida despertou minha curiosidade.
Nesta produção Yoon Sung-hyun esteve por trás da direção, roteiro e edição o que para mim justifica a qualidade imensurável do filme, afinal ele pôde representar em sua criação exatamente aquilo que tinha em mente.

Crítica | Tempo de Caça – Plano Crítico

Antes de falar sobre roteiro e desenrolar da trama preciso dizer que a fotografia deste filme é maravilhosamente perfeita, "mocinho" e "vilão" são representados pelas cores azul e vermelho e fica perceptível o cuidado da direção com cada detalhe visual de cada cena.
Este quesito para mim foi extremamente relevante e sem dúvida um dos pontos que mais me chamou a atenção.
O roteiro também foi muito bem elaborado e nos envolve de uma maneira bem profunda, em muitos momentos me via segurando a respiração pra não perder nenhum detalhe da trama que que tem uma dinâmica pra ninguém botar defeito.
Apresentar um grupo de ladrões como mocinhos foi uma quebra de padrão muito interessante, pois durante o filme é possível esquecer desse detalhe.

Tempo-de-caça

As tensões que surgem a seguir, o medo e a ansiedade são evidenciadas por uma atuação muito bem definida e tão surpreendente quanto todo o filme.
Eu poderia escrever um post com uma análise bem aprofundada (e irei escrever 😊) e enaltecer ainda mais essa obra de arte e com certeza me faltariam palavras para fazê-lo.
O que posso dizer é que vale muito a pena assisti-lo TENHO CERTEZA que você não vai se arrepender.






Read More

segunda-feira, 6 de julho de 2020

Sobre Ontem à Noite | E quando algo que era pra ser apenas casual se torna algo a mais ? Quem nunca ?

julho 06, 2020 0
Sobre Ontem à Noite / About Last Night




Ano: 2014
País: EUA
Duração: 100 min
Gênero: Romance/Comédia
Diretor: Steve Pink
Elenco: Kevin Hart, Michael Ealy, Regina Hall, Joy Bryant, Christopher McDonald, Joe Lo Truglio, etc.
Sinopse: Após uma aventura imprevisível de apenas uma noite, dois casais tentam transformar seu romance casual em amor verdadeiro, vivenciando as responsabilidades que compõem um relacionamento.

Hoje vim indicar pra vocês esse filme que descobri por acaso e me agradou demais. Se trata de um remake de um filme de mesmo nome do ano de 1986, dirigido por Edward Zwick e estrelado por Rob Lowe, Demi Moore, James Belushi e Elizabeth Perkins. Não assisti esse e por isso não farei comparações entre os dois, apenas falarei sobre o remake. A única diferença que eu sei é que no filme original os protagonistas são brancos e nesse remake temos os 4 protagonistas sendo interpretados por negros, um ponto legal.



Na trama somos apresentados aos melhores amigos e que também trabalham juntos, Bernie (Kevin Hart/O Durão) e Danny (Michael Ealy/Ladrões). Eles gostam de sair pra beber, aproveitar o happy hour e como ambos são solteiros, principalmente azarar as mulheres.

Do outro lado conhecemos as também amigas Joan (Regina Hall/Todo Mundo em Pânico) e Debbie (Joy Bryant/Fique Rico ou Morra Tentando).



É questão de tempo até Bernie e Joan, e Danny e Debbie engatarem um romance, cada casal à sua maneira. Destaque pra ótima química de comédia entre o personagem interpretado pelo hilário Kevin Hart e a personagem da Regina Hall (a eterna Brenda de Todo Mundo em Pânico). As cenas entre os dois rendem ótimas risadas. O outro casal também não deixa por menos e nos proporcionam ótimas cenas românticas, tudo flores no início e com o tempo muitas brigas kkk como infelizmente acontece com muitos casais.



Uma comédia romântica um pouco diferente das habituais, e com o diferencial bacana de termos essa representatividade negra em seu elenco. Além de ter uma ótima trilha sonora de Black Music embalada por James Brown, Jamiroquai, John Legend, Bobby Caldwell e Mishon. Fica a dica!



Read More

quinta-feira, 18 de junho de 2020

The Act - A história de Gypsy Blanchard

junho 18, 2020 0
Olá meu povo cês tão bem?

Uma amiga muito querida me indicou a série The Act  e enquanto me falava a respeito do enredo sempre reforçava a ideia de quão bizarra essa história se apresentava, curiosa resolvi ver afinal do que se tratava, e o resultado você vai conferir agora. (Beijo Nany obrigada pela indicação).

Crítica: The Act – Tangerina Mecânica


Título: The Act 
Ano: 2019
País: EUA
Duração: 48-60 minutos
Episódios: 8
Temporada: 1
Gênero: Drama 
Criadores: Nick Antosca, Michelle Dean
Elenco: Joey King, Patricia Arquete 

A série conta a história de Gypsy Blanchard uma jovem que é acometida por várias patologias as quais sua mãe superprotetora sempre busca reforçar tornando clara as incapacidades da filha. A medida em que Gypsy vai crescendo começa a perceber que de fato não possui tantas limitações como sua mãe impõe a ela o que alimenta sua motivação em seguir seu próprio caminho.

ESTE POST CONTÉM SPOILER !

The Act". A história macabra (mas verdadeira) da nova série da HBO ...


Gypsy Blanchard e Dee Dee Blanchard

Antes de começar a destrinchar essa série precisamos levar em conta que toda sua história foi baseada em um caso real.
Clauddine Blanchard apresentava-se como a boa e dedicada mãe mas o que ninguém imaginava era a história sombria que a seguia, pouco tempo depois do nascimento de Gypsy,  Dee Dee demonstrava um comportamento estranho criando ela mesma diagnósticos sem fundamento para sua filha, ela era tão convincente que foi capaz de enganar até os próprio médicos fazendo com que sua filha passasse por procedimentos cirúrgicos sem necessidade.
Além de fazer com que Gypsy vivesse como uma pessoa realmente enferma Dee Dee também incentivava sua filha a agir de maneira infantil escondendo dela sua verdadeira idade.
Com o passar do tempo a própria Gypsy foi percebendo incoerência na fala de sua mãe o que tornou o relacionamento delas ainda mais complexo, foi quando por fim Gypsy conheceu seu namorado virtual o que de fato lhe fazia sentir-se livre.

Raio X | "The Act": A verdadeira história que inspirou a ...


A história termina com o assassinato de Dee Dee e a prisão de Gypsy e Nicholas seu namorado, ela condenada a 10 anos de prisão e ele a prisão perpétua.

Crítica 

Tecer criticas sobre produções como essa é um pouco complicado porque trata-se de um caso real, dessa forma eu irei me limitar aos detalhes de produção e a analisar de que maneira essa história  foi contada. 
Um dos pontos fortíssimos dessa série na minha opinião foi a fotografia, a parte visual foi de fato muito fiel aos acontecimentos narrados e não apenas isso, o figurino estava muito condizente com a realidade das personagens, e mesmo dentro dessa fidelidade à história real foram utilizados recursos visuais muito bacanas que enriqueceram ainda mais a compreensão da história em si.
Para exemplificar repare que nas primeiras cenas Dee Dee está sempre relacionada a tons roxos que trazem a sensação de que o vilão se aproxima, temos também a cena onde Nicholas está dentro de um ônibus quando de repente sua personalidade maléfica Victor se apodera de sua mente, neste instante a cena recebe um tom avermelhado indicando perigo, além é claro da cena que representa a última ida de Dee Dee e Gypsy ao shopping, momento esse em que Gypsy compra a faca com a qual seu namorado assassinaria sua mãe um tempo depois, repare que antes mesmo que elas voltem para o carro a câmera sorrateiramente mostra um pintor utilizando uma tinta vermelha para pintar a palavra SALE e neste momento a tinta escorre pela parede assim como o sangue de Dee Dee no momento de sua morte.


The Act – Season Finale – 1ª Temporada | CineAddiction


Claro que algumas alterações foram realizadas para que pudéssemos experienciar determinadas sensações, a exemplo disso vemos o quarto pequeno e escuro de Nick, local que provoca a sensação de claustrofobia e medo.
A série soube ousar isso é verdade, a trilha sonora também favoreceu a nossa imersão nos sentimentos que rondavam a pequena Gypsy, o momento em que sua mãe está sendo assassinada realmente é angustiante. 
Até este ponto foi uma série tão bem produzida que os deslizes seriam imperceptíveis não fosse por um furo de roteiro que me incomodou um pouquinho.
Quando Nick começa a se abrir para Gypsy ele sente a necessidade de contar que tinha várias personalidades dentro dele sendo uma delas o Victor, mas no quesito interpretação isso não ficou assim tão perceptível então cada vez que ambas as personalidades se alternavam vinha aquele toque nem sempre tão sútil avisando que a troca ia acontecer, isso me incomodou porque talvez fosse possível que a interpretação de Calum Worthy fosse suficiente para perceber essa alteração comportamental, mas não foi.
Claro que este ponto não desqualifica os pontos positivos mas também não conseguiu passar batido.
No geral The Act é uma série que cumpre o que promete nos apresentando essa história maluca com toda sua intensidade.

Gypsy fugiu mesmo de casa? Verdades e mentiras sobre o terceiro ...


E você o que achou dessa série? Deixe sua opinião ai nos comentários, ficarei feliz em ler.













 

Read More

segunda-feira, 8 de junho de 2020

Café e Baunilha - Um dorama pra lá de polêmico

junho 08, 2020 4
Oi oi meu povo, que saudade de escrever posts sobre doramas, e pra voltar com a corda toda vamos falar sobre o mais polêmico, o mais falado, o 50 tons de cinza do Japão, Coffee and Vanilla.




Titulo original: Coffee and Vanilla
País de origem: Coréia do Sul
Ano de lançamento: 2019
Episódios:10
Duração: em média 30 minutos
Elenco: Dori Sakurada, Haruka Fukuhara
Gênero: Romance

Café e Baunilha conta a história de Risa Shiragi uma estudante universitária que possui uma invejável beleza, chamando a atenção por onde passa.
Mais o que aqueles que a cobiçam não sabem é que Risa é ingênua e ainda está tentando se adaptar a essa nova  vida em Tóquio.
Como seu protetor Hiroto Fukami vai torná-la consciente se sua inocência enquanto vivem uma intensa história de amor.

Japanese Drama Coffee & Vanilla instagram Dori Sakurada, Haruka ...


GENTE ! Esse post vai ter Spoiler então se você ainda não viu o dorama corre lá depois volta aqui Ok!

Café e Baunilha é um dorama com imagens lindas e acolhedoras, é possível notar a sensibilidade dos produtores a cada episódio, e por si só o nome já nos causa uma sensação aconchegante mas claro isso não se limita apenas ao nome.
Especialmente o café onde Hiroto e Risa se conhecem e o próprio apartamento do casal são pensados de maneira a nos envolver cada vez mais com o romance dos dois, lembrando que até mesmo a escolha daquele lençol de cetim vermelho que aparece sempre nos momentos de mais intimidade do casal não foi pensado por acaso, reflete a pureza e a inocência que esse romance busca transparecer.
As cenas onde a chuva predomina refletem ainda mais essa sensação de aconchego assim como os abraços que Hiroto dá em Risa.
A história acontece de maneira direta sem muitos rodeios e cada novo episódio traz uma nova surpresa, embora a intenção romântica esteja sempre bem evidente o roteiro segue desenhando seu próprio curso de mão dupla, ao mesmo tempo que evidencia a intimidade e o romantismo do casal coloca a protagonista sempre em maus lençóis sendo assediada por todos os lados.

Coffee and Vanilla Dori Sakurada 桜田通 Haruka Fukuhara 福原遥 ...

Embora alguns personagens não sejam de certa forma relevantes para a trama em alguns momentos tive a impressão de que não sabia o suficiente sobre nenhum deles, a exemplo disso onde estão os pais de Risa? Porque de fato Akutsu tinha tanta raiva do Hiroto? Qual a intenção do surgimento da mãe do Fukami? Entre tantos outros pontos ligados a personagens que ficaram sem qualquer explicação. 
Levando isso em consideração entendo que embora existisse uma imensa preocupação quanto a fotografia "imagem" os personagens talvez tenham sido colocados em segundo plano.
O elenco na minha opinião teve altos e baixos, embora tenha gostado muito da interpretação dos protagonistas penso que foram o único ponto alto desse quesito.
Quanto aos figurinos eu particularmente gostei bastante, de fato a personalidade de cada personagem ficou bastante evidenciada através das roupas utilizadas durante a trama.

A Fangirl's Japanese Drama Review: Coffee & Vanilla | Dramas with ...


E por último mas não menos importante temos uma trilha sonora bastante simpática que se encaixa perfeitamente com todo o contexto da obra.

POLÊMICA 

Vamo lá minha gente é agora que o bicho pega  😬.
Quem me acompanha sabe que eu prefiro K-dramas e no quesito Japão me contento com os animes, mas confesso que a curiosidade falou mais alto, isso porque Café e Baunilha gerou uma alvoroço entre o público dorameiro que chegou a dividir opiniões a respeito da qualidade do mesmo.
As acusações foram as mais diversas possíveis, chamaram de dorama TÓXICO, POUCA VERGONHA, 50 TONS DE CINZA JAPONÊS e não para por ai.
Mas confesso que não é a primeira vez que vejo um dorama levar essa fama,  Itazura na Kiss que também é japonês não fica atrás.
Mas afinal é ou não é tóxico?

画像3/7) 福原遥、桜田通と極甘ベッドシーン「まいんちゃんがオトナに ...

Povo vamos lá dorama é um troço que a gente não pode "julgar" nos padrões ocidentais, por quê? Porque eles não são ocidentais oras bolas. 
Existe uma coisa chamada cultura que varia de cidade para cidade, quem dirá de continente pra continente, então não dá pra esquecer esse detalhe quando se condena determinada prática.
Ver muitas adolescentes dizendo que esse dorama é tóxico me fez pensar com base em que elas tiveram essa percepção, claro levando em conta a cultura japonesa ok.
Risa é o reflexo de uma mulher japonesa bem sucedida, é inocente, delicada, com comportamento infantilizado, e além de tudo isso demonstra uma insegurança absurda, por quê? Por que ela havia saído de uma cidade do interior rumo a cidade grande, mas ao mesmo tempo em que demonstra fragilidade demonstra resistência.
Já Hiroto é mais velho que ela, mais experiente e também carente de acolhimento, porque o dorama deixa claro que  a mãe do gatinho não valia um pão com ovo, mas ela é culpada? Talvez não afinal ela também sofreu na vida e aprendeu a se virar sozinha mesmo que de uma maneira um pouco condenável.
Então a gente vê Hiroto com esse excesso de proteção em relação a Risa mas ela estuda, trabalha, tem amigos, e a medida que é cuidada pelo seu namorado ela busca evoluir para se igualar a ele o que em momento algum é condenado por Hiroto.
Isso acontece dessa forma porque no Japão ainda predomina o patriarcado e isso é cultural, não é certo nem errado apenas é a estrutura daquele povo.

Coffee & Vanilla (2019) - MyDramaList


Ai muitas meninas falaram sobre a marca do pescoço o famoso chupão, cansei de ler comentários sobre isso como sendo um modo de marcar território, mas pera lá...
Aqui a gente precisa abrir um parenteses gigantesco, dentro de um momento intimo desde que haja consenso muitos casais não tem restrições, em nenhum momento a Risa demonstra não gostar do que está acontecendo com ela, dessa forma vejo isso como parte da intimidade do casal e somente isso.
Lembrando que este dorama especificamente prioriza o que? A sensualidade durante o encontro dos dois.
Já que falamos em sensualidade vamos comentar também sobre o termo POUCA VERGONHA, gente embora este dorama tenha um apelo um pouco maior a esse tema não há quebra dos limites morais nesse contexto, talvez o público tenha se espantado por conta de que a maior parte dos doramas se policia muito quanto ao relacionamento amoroso dos protagonistas, nos dramas coreanos então na maioria das vezes acontece apenas um selinho lá no último episódio, de repente ver um dorama japonês um pouco mais assanhadinho tenha causado ai um impacto que na realidade não era necessário.
Outro ponto também é que existiam muitas adolescentes assistindo, algumas até mencionaram que se a mãe as visse assistindo aquilo o chinelo ia cantar, outras brincaram que se alguém perguntasse sobre o que é esse dorama responderiam "é sobre café". A questão é que esse dorama não deveria ser visto por todo e qualquer público e pra quem tá acostumado ao romance pão com chá dos coreanos esse aqui foi uma bomba.

Coffee And Vanilla - Bộ phim ngôn tình Nhật Bản 16+ dành cho những ...

Deixando claro aqui que eu adoro o pão com chá dos coreanos 😬
50 tons de cinza versão japonesa? Gente fala sério.
Assistindo não encontrei qualquer semelhança com essa trilogia furada que é 50 tons de cinza, como havia mencionado anteriormente entendo a surpresa das gurias mas não é pra tanto.
Pra quem não sabe Christian Grey o protagonista do 50 tons de cinza tem um comportamento bem diferente do que Hiroto reflete no trato com a Risa, mas se você tem menos de 18 ano SOSSEGA isso ainda não é conteúdo pra você assistir ok.
Com tudo isso quero dizer que gostei sim do dorama, não achei abusivo, entendo que o que se reflete ali é cultural e não deve ser julgado pela perspectiva ocidental seria desleal de mais.
Relacionamentos abusivos são sim perigosos e devem ser evitados e dentro do nosso contexto (o ocidental) devemos sim buscar cada vez mais informações para que possamos perceber se acaso algum dia formos vitimas.
De resto acho que a gente precisa aprender a interpretar melhor as situações levando em conta todos os elementos e não isolando apenas um fazendo dele uma verdade absoluta.

Sinta-se a vontade para deixar sua opinião sempre com muito respeito e com certeza eu irei ler com muito carinho.
Até o próximo post.

P.S Falei tanto do casal que acabei esquecendo de um ponto importantíssimo, durante a trama Risa sofre alguns abusos sim, através do beijo que ela não queria dar em Akutsu, como também o abuso psicológico realizado por Yuki e Ashiya, e até mesmo a reação de Yoshiki após levar um toco, mas isso não é apresentado como algo correto muito pelo contrário, Hiroto passa o dorama inteiro tentando protege-la dessas situações, sendo assim por não fazer apologia a nenhum tipo de abuso não considero esse dorama TÓXICO e ABUSIVO.













Read More

segunda-feira, 1 de junho de 2020

A Favorita | Um Grego Fazendo Bonito em Hollywood

junho 01, 2020 0




A Favorita / The Favourite

Ano: 2018
País: EUA/Reino Unido/Irlanda
Duração: 120 min
Gênero: Comédia/Drama/História
Diretor: Yorgos Lanthimos
Premiações: Oscar de Melhor Atriz/2019 (Olivia Colman); Globo de Ouro: Melhor Atriz em Comédia ou Musical/2019 (Olivia Colman); BAFTA de Melhor Atriz/2019 (Olivia Colman); BAFTA de Melhor Figurino (Sandy Powell); BAFTA de Melhor Atriz Coadjuvante/2019 (Rachel Weisz); além de mais de 40 outros prêmios em muitos festivais.
Elenco: Olivia Colman, Emma Stone, Rachel Weisz, Nicholas Hoult, Joe Alwyn, etc.
Sinopse: Na Inglaterra do século 18, Sarah Churchill, a Duquesa de Marlborough, exerce sua influência na corte como confidente, conselheira e amante secreta da Rainha Ana. Seu posto privilegiado, no entanto, é ameaçado pela chegada de Abigail, nova criada que logo se torna a queridinha da majestade e agarra com unhas e dentes essa oportunidade única.



Hoje eu vim indicar pra vocês essa pérola de filme, que foi indicado a nada mais nada menos do que ''apenas'' 10 categorias do Oscar. Por mais que tenho ganho em apenas uma (Melhor Atriz/Olivia Colman), a qualidade do filme é inegável.




Dirigido pelo ótimo Yorgos Lanthimos (de O Lagosta e O Sacrifício do Cervo Sagrado) na obra acompanhamos a história da rainha Anne (Olivia Colman/O Lagosta), que é sempre acompanhada pela sua Duquesa e braço-direito Sarah (Rachel Weisz/Fonte da Vida). Entre alguns conflitos políticos acontece a chegada da prima de Sarah, Abigail (Emma Stone/A Mentira).

E é com a chegada dessa nova criada, que a relação entre as duas começa a estremecer. Mais detalhes que isso estragaria a experiência com o filme. Dos filmes do diretor esse é o vamos dizer assim mais normal até aqui, mesmo tendo algumas cenas bizarras e explícitas, que é uma marca dele.




Destaco sobretudo as parte técnicas do filme, como as atuações, o figurino de época incrível, a fotografia e um cenário com paisagens muito bonitas, além da sua trilha sonora banhada por música clássica. Para quem assim como eu gosta desse estilo musical, será um deleite acompanhá-la. Um filme que foi além das minhas expectativas, apesar das suas 2 horas de duração não se tornou monótono em nenhum momento.


Vale a pena a sua visita, um filme de época, com uma história muito bem contada e que prende a nossa atenção até o final. Com certeza todo o barulho que fez no Oscar foi merecido. Mais um ponto pro grego Yorgos.




































Read More

quinta-feira, 14 de maio de 2020

O sexto sentido - TBT | De olho no assunto

maio 14, 2020 0
É dia de TBT De olho no assunto e o filme de hoje é uma grande produção do diretor M. Night Shyamalan, O sexto Sentido.
Poster Cartaz Quadro 30x40 O Sexto Sentido no Elo7 | Posterplus ...

Título: O Sexto Sentido 
Formato: Filme
País: EUA
Ano produção: 1999
Duração: 1h 47m
Direção e roteiro: M. Night Shyamalan
Gênero: Drama, Supense
Elenco: Bruce Willis, Haley Joel Osment,Toni Collette

Cole Sear é um menino de oito anos que tem enfrentado dificuldades de socialização  desde o divórcio de seus pais, mas não apenas isso o garoto tem um comportamento um tanto peculiar que  acaba chamando  a atenção do psicólogo infantil Malcolm Crowe, a partir dai ambos estarão empenhados em achar uma solução para esse caso.

Crítica: O Sexto Sentido (1999) - Sessão do Medo

Crítica

Elogiado pela crítica o filme O sexto sentido marcou a década de 90, sendo indicado ao Oscar em seis categorias e não é difícil imaginar o porque.
É óbvio que M. Night Shyamalan sabia o que estava fazendo levando em consideração que o mesmo esteve envolvido na direção e na criação do roteiro o que permitiu que todas as suas ideias fossem reproduzidas seguindo fielmente a premissa estabelecida por ele próprio.
A narrativa segue de maneira coerente nos levando a criar uma sequência lógica e muitas vezes até previsível para o filme, sequência essa que a todo momento é confrontada pelas pistas presentes ao longo das cenas.

Filme: O Sexto Sentido (1999) - Blog Dicas de Filmes por Scheila ...
Nesta cena vemos o vestido azul da Anna como que manchado de sangue antecipando o momento em que Malcon é baleado.

Ainda a respeito das pistas vemos uma empenho da fotografia em nos alertar sobre possíveis acontecimentos, mas ela não trabalha sozinha, os figurinos, a disposição de determinados objetos no cenário tudo isso junto transmite tanta informação quanto cada palavra reproduzida pelos atores.
Com frequência vemos cores frias e tons amarelados e pálidos que se contrastam com a cor vermelha presente na maçaneta que está sempre fechada todas as vezes que Malcon tenta abri-la, nas construções, nos figurinos e sempre muito relacionada ao Cole em diversas situações.

O que mais te chocou no filme O Sexto Sentido? - Quora

Além do vermelho muito presente nos figurinos de Cole e Anna percebemos que em grande parte do tempo Malcon veste uma camisa azul que remete a sua tristeza por perceber que aos poucos seu casamento segue ruindo sem que ele possa fazer nada para impedi-lo mostrando sua melancolia. 
Outro ponto que merece ser observado é a importância que se dá as sombras em algumas cenas sempre dando a impressão de que existe alguém inumano presente.

Toni Collette and Bruce Willis

O elenco surpreende em suas atuações, o próprio Shyamalan tem uma rápida participação mas Haley Joel Osment e Toni Collette são claramente os destaques desse filme transmitindo emoções com uma naturalidade impressionante.
Os personagens são muito bem desenvolvidos no primeiro ato fazendo com que criemos empatia por cada um deles acompanhando seus dilemas e seus medos profundamente.
Levando em conta todos os elementos apresentados, sem contar outros tantos que renderiam um post gigantesco ainda somos surpreendidos por um plot twist de angustiar a alma, mesmo que por inúmeras vezes a fotografia tenha nos alertado que essa definitivamente não era mais uma história sobrenatural.

O SEXTO SENTIDO (1999) | Cinema & Debate


O sexto sentido realmente faz jus a sua fama, cada elemento presente neste filme tem uma função narrativa bem definida, surpreende, encanta e emociona, com certeza merece ser relembrado.

Espero que você tenha gostado desse post, compartilhe, comente as suas percepções com relação a este filme e deixe também uma sugestão para o próximo TBT.
Nos siga nas redes sociais.
Um abraço e até o próximo post.














Read More

Post Top Ad