segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Com terceira temporada prevista para 2019 vamos relembrar 13 Reasons Why

Uma terceira temporada era mesmo necessário?


Oi tchurminha tudo bem com vocês?

Se você ainda não assistiu a essa série não assista, este post contém spoilers.

Hoje vamos direto ao ponto, 13 Reasons Why merece uma terceira temporada?
Ainda me lembro do reboliço causado pela estréia da série em 2017, aquela guerra de opiniões sobre a relevância em trazer ao público teen uma história como a de Hannah Baker.
Eu assisti a série logo após seu lançamento, a questão é que fazia pouquíssimo tempo que uma grande amiga minha havia se suicidado e confesso que toda essa história me derrubou bastante.
Mesmo tendo criado uma associação entre as duas mortes na época lembro-me de ter achado muito bom que algo assim causasse tanto burburinho para que outras pessoas não morressem, mas hoje depois de assistir a segunda temporada vejo que eu estava completamente enganada.



Título: 13 Reasons Why
Baseado em: Thirteen Reasons Why (2007), de Jay Asher
Desenvolvida por: Brian Yorkey
Formato: Série / 2 temporadas / 26 episódios
Gênero: Drama adolescente e Mistério
Protagonizado por: Dylan Minnette e Katherine Langford.
Duração: 49 a 70 minutos
Países de Origem: EUA

Ano produção: 2017
Sinopse: Clay Jensen, um estudante, volta para casa da escola um dia, e encontra uma caixa misteriosa deixada na sua varanda. Dentro da caixa, ele encontra sete fitas cassete de dois lados gravadas por Hannah Baker, sua colega de escola e amor não-correspondido, que tragicamente cometeu suicídio há duas semanas atrás.

Falando sobre 

1° Temporada

A primeira temporada começa com o surgimento de uma caixa cheia de fitas que explicariam 13 razões pelas quais Hannah havia se matado, e cada uma dessas fitas tinha um nome:

  1. Justin Foley 
  2. Jessica Davis
  3. Alex Standall
  4. Tyler
  5. Courtney
  6. Marcus
  7. Zach
  8. Ryan
  9. Justin #2
  10. Sheri
  11. Clay
  12. Bryce
  13. Mr.  Porter
Inicialmente ao assistir a primeira temporada desta série você pode ver uma infinidade de acontecimentos fúteis para alguns, traumáticos para outros, mas que juntos foram o estopim para que uma jovem se suicidasse.
Enxergar o sofrimento da perspectiva de quem o vive é sempre muito mais capaz de nos levar a refletir sobre ele, e foi o que aconteceu na primeira temporada na minha opinião.
Sentir a dor que Hannah Baker sentiu e culpar-se por sua morte depois, talvez tenha sido o ponto x da questão aqui. Como eu já havia dito faziam poucos meses que uma amiga havia se suicidado e ver os relatos da Hannah me fizeram sentir a dor que minha amiga sentiu ao se jogar de um prédio, mas não foi só isso, a culpa também veio, e obviamente como eu a amava muito não fiz essas coisas horríveis que fizeram com a Hannah mas em dado momento eu desisti de ajudá-la imaginando que tudo estivesse sob controle, era claro que não estava.




Acredito que a primeira temporada mostrou pra o que veio, trouxe a reflexão necessária e poderia ter sido encerrada por ali mesmo, mas não foi.

2° Temporada

Eu havia jurado pra mim mesma que não assistiria nenhum episódio mais dessa série, mas com a terceira  temporada se aproximando e o assunto voltando a tona resolvi quebrar minha promessa e me arrependi.
Agora vemos Hannah de volta como um espirito perseguindo Clay Jensen, o caso relacionado à sua morte  está em julgamento pois sua mãe resolveu processar a escola responsabilizando-a pelo bullying que Hannah sofreu.
Surge então uma caixa de polaroides com várias fotos de garotas sendo estupradas, mas não para por ai, a história de Hannah Baker passa a ser contada da perspectiva de cada um dos seus agressores e isso ao meu ver acabou com toda reflexão proposta a princípio. 




Afinal o que diabos estava sob julgamento? A escola e suas práticas pedagógicas anti-bullying ou a própria Hannah?
De repente ela passou a ser culpada por tudo.
Outra coisa que me incomodou muito foi a questão da impunidade presente na série, não que isso não seja real mas convenhamos que se a série tem realmente a finalidade de ajudar quem sofreu abusos sexuais, bullying e coisas relacionadas que tipo de motivação tem oferecido para que estes jovens denunciem, mostrando que não adianta absolutamente nada?

Na minha opinião a segunda temporada foi um show de horrores, dentre as muitas cenas que me causaram repúdio o troféu cenas absurdas vai para: a volta de Tyler ao colégio Liberty, o que diabos foi aquilo?
O cara acaba de passar por um programa de controle de raiva e é recebido com sua cabeça sendo afundada na privada e uma vassoura entre as pernas, pra não falar de maneira mais escrachada ainda.
Não preciso nem dizer que desaprovei totalmente este conteúdo, não apenas como fã de série mas como futura pedagoga que sou.
O show de horrores termina com Tyler voltando a escola armado até os dentes a fim de fazer justiça com suas próprias mãos, já que ninguém faz absolutamente nada.
A questão é que a série leva a crer que esta realmente é a unica saída, e penso se você não pode controlar quem vai assistir essa porcaria porque usa uma série teen (hoje com classificação +18/ grande coisa) para abordar este assunto tão irresponsavelmente?
Mostrar que existe um centro de apoio no 13 Reasons Why info chega a ser piada.  

Eu já fui adolescente e vivi todas as dificuldades que uma adolescente poderia enfrentar, bullying, zoações, o ambiente escolar ao contrário do que muitos pensam é bastante hostil, a gente nunca é notada a não ser quando resolve revidar, e isso muitas vezes não resolve nada, você sempre vai ser o alvo,  tratar isso como uma novela baseada em ficção é um erro muito grande, chega momentos que nem nós mesmo sabemos se tudo o que estamos vivendo é real, dê armas de vingança a alguém que sofre e espere pra ver.

Posso estar enganada mas acredito que o foco da 3° temporada pode ser o Tyler, e me pergunto quanto mais erros o pessoal vai cometer antes de parar essa série onde ela está? Ajuda mesmo é oferecer recursos e apoio aos que sofrem.

Ligue 188

Nenhum comentário:

Postar um comentário