sexta-feira, 16 de novembro de 2018

O empoderamento feminino em - Felicidade por um fio

Olá galera!

Hoje vamos falar de um filme recentemente lançado pela Netflix, destaque por ser dirigido pela primeira cineasta feminina Saudita,  não é bem o gênero que eu costumo assistir mas foi muito indicado por uma amiga então resolvi dar uma chance.



Titulo Original: Nappily Ever After
Lançamento: 21 de setembro de 2018 pela Netflix (1h 38min)
País: EUACriador(es): Haifaa Al Mansour
Elenco: Sanaa Lathan, Ricky Whittle, Lyriq Bent
Gêneros: Romance, Comédia dramática




Sinopse: Uma publicitária perfeccionista com problemas na vida amorosa embarca em uma jornada de autoconhecimento que começa no visual radicalmente novo.

Falando sobre



A proposta do filme Felicidade por um fio é realmente muito boa, embora, eu seja totalmente contra o feminismo acho o empoderamento da mulher super importante, a história nos remete  a uma realidade bem conhecida para muitas de nós, temas como transição capilar, desilusão amorosa também estão presentes na trama.
Para que você possa entender melhor Violet Jones (Sanaa Lathan) tem uma vida profissional estável, um namorado incrível e uma mãe maluca, além de ser negra e ter o cabelo crespo, um dia ela deduz que será pedida em casamento, porém, isso não acontece e ela se frustra ao ouvir do namorado que ela era perfeita de mais, em um momento de fúria ela resolve sair com as amigas conhece um rapaz vai até a casa dele e comete o maior número de gafes possível, meio bêbada ela raspa a cabeça e ao acordar sem um fio de cabelo surta loucamente.
Depois disso ela começa a se envolver com um cabeleireiro que a aceita como ela é, mas não contente acaba retomando o compromisso com o ex namorado que a pede em casamento como ela queira mas também não casa com ele e  no final do filme aparece novamente junto ao cabeleireiro, moça confusa.

Confesso que eu já vivi algo parecido e me identifiquei bastante com a Violet, apesar de não ser negra também tenho os cabelos enroladinhos e já me descabelei para agradar alguém, também dei a louca e passei por uma transição capilar mas cedi a tentação e voltei para o cabelo padrão beleza.
A verdade é que quando você vê essa situação de fora fica indignado pela falta de aceitação e pela padronização que existe mas quando você é protagonista da história a coisa realmente é bem diferente.
  


É claro que este tema precisa ser abordado sempre que possível, muitas mulheres se sentem um caco só porque seus maridos ou namorados não reconhecem sua beleza interior, com isso vem a tendência a se comparar com a outra que sempre vai ser melhor que ela, desde cedo fomos ensinadas a ser a mulher que o homem quer mesmo que isso signifique se anular completamente para faze-lo.
Acredite já vi meninas lindas se sentirem horríveis só porque seu namorado olha pra um determinado perfil de mulher na rua, outras tem a necessidade de mostrar seu corpo ou viver sempre tentando seduzir para se sentirem bonitas, isso é apenas ilusão mas a dor da rejeição por não ser padrão perfeito é realmente significativa.
O filme trás essas questões de maneira clara.

Critica 


Que o filme tem um tema relevante concordo sem sombra de dúvida, agora trabalhar bem o tema no roteiro é outra coisa bem diferente.
A Netflix peca bastante no quesito filmes e com esse não seria diferente, comédia romântica não seria um termo a se usar para classificar este filme, o roteiro tem muitas pontas soltas a história parece muito desconexa em determinados momentos.
Uma coisa que fica bem clara é a busca pela perfeição que Violet vive, porém, seus relacionamentos são muito confusos e isso atrapalha bastante, no final o mocinho acaba sendo um ponto de apoio e só.
Essa mistura de história indefinidas deixa a trama um tanto cansativa me parece que falta coerência do começo ao fim.
Mesmo com essas observações vale a pena assistir o filme por conta do tema e somente por ele, não confunda Felicidade por um fio com uma comédia romântica pois está longe de ser.




Então é isso, até o próximo post. 

2 comentários: