sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Dreadlocks de lã - Como não amar

Olá meus queridos tudo bem ?

Como é bom mudar não é mesmo?
Quem me acompanha aqui no blog desde o inicio já pôde ver todas as mudanças que sofri com o passar do tempo e sem dúvida esta foi a mais radical e mais prazerosa de toda minha vida "meus Dreadlocks".




Ainda não será neste post que vou contar a história deste cabelo, quero apenas contar minha experiência para vocês, quem sabe depois disso não apresente à vocês toda a cultura por trás deste estilo.
Bom resolvi colocar os dreads primeiro porque acho lindo, segundo porque o significado é mais lindo ainda e terceiro porque sou uma metamorfose ambulante e gosto de provocar o senso crítico das pessoas.
Assisti um vídeo muito bom da colega Nataly Neri onde ela estava fazendo seus próprios dreads e à partir dali tive a certeza que era isso mesmo que eu queria pra minha cabeça.




Eu optei por fazer os dreads de lã por que são removíveis e não estragam o cabelo, provavelmente se eu fosse colocar na cabeça inteira teria escolhido os dreads feitos com o próprio cabelo mas no momento isso é impossível visto que tenho as laterias raspadas.


O que eu preciso falar pra vocês é que sim eu lavo meus dreads e estão sempre cheirosos, sim coça bastante, sim doi pelo menos no meu caso doeu razoavelmente nos primeiros três dias, sim seu cabelo provavelmente não vai  aguentar o peso dos dreads sem estourar um fiozinho ou outro e sim quando isso acontece parecem lêndeas por toda a cabeça, isso não é sujeira ok e podemos remover com os dedinhos mesmo.



Provavelmente eu escreva um post falando dos cuidados em breve.
Demoramos por volta de 6 horas pra finaliza-los, valeu a pena cada minuto eu adorei, caso queiram o contato da responsável pela arte podem me chamar no Instagram.
Quanto ao valor eu fiz orçamento em vários lugares e o preço variou de 180 a 800 reais pra este modelo que estão vendo ai.




Aproveitando o espaço hoje vivemos um grande dilema na sociedade chamado apropriação cultural, para uns existem, para outros não, mas a verdade é que tem sido discutido de uma maneira um tanto complexa para mim.
Infelizmente Brasil o país mais diversificado do mundo é também um país recheado de preconceitos, eu Mônica respeito toda nossa herança negra, indígena e europeia por isso não vejo o menor problema em colocar dreads , fazer tatuagens ou colocar piercings indianos, o que quero dizer com isso é que seja apropriação cultural ou não todos podemos abraçar as influências culturais presentes no nosso país.
Ouvi uma pessoa dizer que branquitude não pode usar turbante ou dreads, e então pergunto porque eu não posso usar ?
Essa questão me fez refletir sobre a tal apropriação cultural, e não achei nada que me impedisse de ser uma branca que ama as outras culturas, e que não tem preconceito sobre as diferenças.
Essas palavras são apenas pra constar que eu respeito nossa herança cultural, uso dreads sim e tranças se for o caso até um black (pena que meu cabelo não é  tão cacheado assim), e que essa possibilidade destrói a raiz preconceituosa das pessoas, agora quando existe essa questão de posso ou não usar vejo mais do que uma raiz preconceituosa, vejo também uma pessoa intolerante buscando respeito mas não demonstrando nenhum sequer.

Abraços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário