quinta-feira, 13 de abril de 2017

13 Reasons Why - seria uma apologia ao suicídio ?

Nos últimos dias tenho ouvido falar bastante sobre a série da Netflix 13 Reasons Why, como boa blogueira que sou resolvi começar a assistir a série para que pudesse estar por dentro do assunto e assim que possível escrever algo a respeito.



Sim assisti ao primeiro episódio o que me fez pensar muito se deveria assistir aos próximos, provavelmente eu irei sim dar continuidade porque a existência das fitas desperta uma grande curiosidade.
A série segundo a sinopse trata do suicídio da jovem Hannah Baker, mas gira em torno de Clay Jensen que recebe uma caixa de sapatos com 7 fitas as quais deve ouvir e passar para as outras pessoas, o conteúdo dessas fitas foi gravado por Hannah antes de cometer o suicídio e todas as suas recomendações devem ser seguidas, nesta fita ela culpa 13 pessoas por seu suicídio e o descumprimento das regras resultaria na divulgação deste conteúdo o que provavelmente iria prejudicar muita gente.


Tudo o que sei sobre a série até o momento é que Clay foi um dos motivos do suicídio e já começou a ouvir as fitas, e que Hannah é uma típica adolescente.

Antes de assistir também me preocupei em saber como esta série está sendo avaliada pelo público já que suicídio é um assunto tão delicado e para minha surpresa encontrei basicamente 3 tipos de avaliação, a dos médicos, a dos fãs e por fim a dos que não aprovaram.
Basicamente a opinião dos que não aprovaram tem total embasamento na avaliação psiquiátrica, ambos acreditam que esta série traz um perigo real a pessoas que já possuem um pensamento suicida, entre outras palavras a série parece fazer apologia ao suicídio.



Minha opinião sobre isso é... Ainda não cheguei a conclusão alguma principalmente por ainda estar no primeiro episódio.
O que me preocupa é que vi várias pessoas com depressão usando as criticas a série como impulso para assisti-la.
Eu já tive depressão e embora as vezes desejasse a morte nunca, jamais cogitei o suicídio, hoje passo por outros problemas que até já comentei aqui no blog que são transtorno de ansiedade, síndrome do pânico, estresse agudo e uma depressão considerada leve, mas ainda assim estou me empenhando no tratamento para que tudo acabe bem, porém conheci uma pessoa que infelizmente não teve a mesma sorte...

A dificuldade em enfrentar situações difíceis 

Conheci essa pessoa a uns cinco anos mais ou menos ela era incrivelmente alegre aquele tipo que amiga que você deseja levar para a vida inteira, estudante de fisioterapia ela era capaz de tirar qualquer pessoa de um dia ruim.
Com o passar dos anos ela começou a passar por problemas como falta de dinheiro, atrito familiar, traições do namorado isso desestabilizou ela por completo, sem conseguir lidar com esses problemas acabou largando a faculdade e usando a bebida como rota de fuga, a essa altura ela não era mais a mesma.
Quando a conheci sua mãe havia falecido por metástase uns três anos antes depois de sofrer muito vivendo com o padrasto dela, essas foram marcas que ela carregou em silêncio por muito tempo.
Essa amiga mesmo com todo meu amor, apoio e compreensão chegou ao fundo do poço e aquela alegria que eu via nela foi se apagando aos poucos e então começou a luta, ela pensava estar sozinha no mundo e tudo o que ela queria era ficar com a mãe dela.
Vi ela sofrer dia após dia e tentei ajudar de todas as formas buscamos ajuda juntas mas nada adiantava, ela tentou se matar inúmeras vezes mas eu sempre a impedia a tempo.
Depois de tanta tristeza ela conheceu um bom rapaz e coisas boas passaram a acontecer, ela conseguiu emprego se estabilizou e parecia estar muito feliz afinal seria um recomeço e tanto, segura de que ela estava bem e que agora seu noivo podia cuidar dela resolvi seguir minha vida, então também encontrei uma boa pessoa e mudei de bairro, por causa disso nossos encontros ficaram menos frequentes.
Tudo estava bem até que ao acordar recebi uma ligação...
Peguei o celular as pressas e antes que eu pudesse retornar lá estava a notificação no meu facebook com a seguinte frase "Não sei porque você se foi quantas saudades eu senti " e logo abaixo a foto dela.
Novamente meu telefone tocou e eu ouvi a pior noticia que poderia ter recebido, faltando três meses pro seu casamento ela se jogou da janela de um prédio e pôs fim na dor que sentia.
Nunca havia sentido aquilo mas ao ver seu caixão lacrado senti que parte de mim tinha ido com ela.
Vai fazer dois anos que perdi pro suicídio mais que uma amiga uma irmã.

  

 Esta história que acabei de contar é verídica e ao ver esse tema ser abordado foi inevitável me lembrar dessa dor que vou levar pra sempre e no fim importa mesmo se essa série está sendo o encorajamento que alguém precisa para tirar a própria vida?
Será se o mundo tem noção de quanta gente se mata anonimamente por ai sem nunca ter visto essa série?
Se faz ou não apologia importa mesmo?
Enquanto isso é discutido mortes de jovens e adolescentes continuam acontecendo todos os dias muito antes dessa série ir ao ar, ao final da temporada poderei ter uma opinião mais formada acredito, mas independente disso o fato da série trazer este tema a tona já é válido para mim.
Seria muito melhor aproveitar a abordagem do tema e encará-lo de frente sabendo que ele sempre existiu e precisa de uma solução porque até o momento a sociedade parecia fechar os olhos para acontecimentos como esse.


  Virar as costas para pessoas que precisam de ajuda é como ser responsável por sua morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...