sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Investigação Hospital Salvalus - Green Line

Oie arteiros e arteiras,
Meus amores não gosto de trazer esse tipo de assunto para o blog mas serve de alerta então bora contribuir com a humanidade.
Ontem fiquei sabendo que em fim o ministério público resolveu juntamente com outros órgãos como a vigilância sanitária investigar o Hospital Salvalus que faz parte da rede Green Line.




Eu sou funcionária deste hospital a mais ou menos 1 ano e 6 meses sendo que estou afastada por motivo de saúde desde agosto deste ano e gente não imaginam como fiquei feliz em saber sobre esta investigação.
O hospital está sendo investigado pelo surto da bactéria KPC entre outras coisinhas mais, eu vi algumas pessoas morrerem por causa desta bactéria e gente é terrível o estrago que ela causa num curto período de tempo.
A estrutura deste hospital é muito boa, tem equipamentos de última geração mas nem todo lugar é perfeito.
A verdade é que saber que a morte do pequeno Benjamin vai salvar a vida de outras pessoas me deixou feliz, embora claro preferia que nada disso tivesse acontecido e que esse bebê tivesse sido poupado da morte, sinto muito por ele.


É claro que haverão muitos argumentos mas confio no trabalho do ministério público, algo realmente precisava ser feito antes que mais mortes acontecessem.
Este post fica ai como um alerta a você que tem o convênio Green Line, e como satisfação por ver a justiça sendo feita em fim depois de tanto tempo.

QUE A JUSTIÇA SEJA FEITA


4 comentários:

  1. Venho através deste, expor casos gravíssimos de atentado contra a vida, ocorridos diariamente no Hospital Salvalus, rede própria da Green line saúde.
    Fui gestor do hospital por 3 anos, tenho documentos, tenho relatórios que comprovam que o hospital pratica absurdos na tentativa fiel de economizar com tudo e todos. Exemplos básicos: o pronto socorro possui quantidade de médicos inferior à necessária. No pronto socorro adulto, é comum encontrar médicos ainda em formação. No pronto socorro infantil, é muito comum, encontrar médicos de infinitas especialidades,menos pediatras. A UTI neonatal raramente tem pediatras ou neonatologistas, principalmente nos plantões noturnos. O hospital trabalha diariamente com overbooking na internação, na ânsia desenfreada de não permitir que os beneficiários do convênio sejam internados fora da rede própria. Dessa forma, existem pacientes internados em leitos de pronto atendimento, pacientes de UTI internados na sala de emergência, pacientes de pós parto internadas na sala de recuperação pós anestesia... O hospital é um depósito de doentes! Os relatórios que tenho em mãos, relatam casos em que a gestora do hospital apresenta pânico, pois afirma que avisou a diretoria do convênio que não tinha vagas para internar novos pacientes e foi orientada a continuar cedendo vagas normalmente. Quando o médico solicita medicamentos de alto custo, o pedido fica parado, até que o diretor do grupo faça análise e libere (ou não). Tenho relatos da gestora, onde o ortopedista do hospital (não somente 1 vez), operou o membro incorreto do paciente, fazendo confusão entre direita e esquerda. As equipes de especialistas cirúrgicos possuem cotas mensais de cirurgia. Os médicos não podem operar mais pacientes, do que a cota estipulada pelo convênio! Isso explica, porque muitos pacientes se queixam de demora para realizar a cirurgia necessária. São casos reais, que demonstram que pessoas inocentes chegam àquele local na busca de tratamento, e precisam de muita sorte para que saiam vivas. O dono do hospital apresenta diariamente preocupações com estética, com o lustre da recepção, com as palmeiras imperiais da entrada... Nunca com a falta de médicos, principalmente especialistas! O corpo de Enfermagem é pífio, diante da real necessidade. Em alguns plantões, um auxiliar de enfermagem chega a ter 9 pacientes sob sua responsabilidade, e obviamente não terá como dar banho ou sequer aplicar as medicações prescritas pelos médicos, nos horários determinados. Esse lugar precisaria nascer do zero, para tentar ser chamado de hospital! O material infectante é transportado normalmente, junto com pacientes e acompanhantes nos elevadores. Cadáveres, também são transportados nas macas, até o necrotério, junto com pacientes e acompanhantes! É um teste de sobrevivência...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente depois deste post não ouvi mais nada a respeito desta investigação o que é lamentável,a pessoa que deixou este comentário anônimo com certeza sabe do que está falando porque não foge da realidade.
      O que me indigna é ver como a sujeira é empurrada pra baixo do tapete debaixo do nariz dos órgãos judiciais.
      Ainda espero que justiça seja feita a cada pessoa que morreu ali ou perdeu seu ente querido nas condições desumanas impostas pelo hospital.
      Gostaria de ver justiça também a muitos funcionários dentre os quais eu me incluo que se dedicaram tanto ao seu trabalho e saíram de lá com várias sequelas como eu.
      Provavelmente nunca mais serei a mesma, e digo ainda que se hoje estou afastada da minha função isso se dá principalmente por não ser conivente e cúmplice das coisas horríveis que vi por lá.
      Nenhum ser humano merece passar por aquele lugar.

      Excluir
  2. Não era para sair como anônimo. Meu nome é Thiago, e estou me colocando à disposição de quem precisar, para ser testemunha contra o hospital. Tenho relatórios de passagem de plantão, que demonstram claramente a tal "medicina moderna" ali praticada... Essa semana, uma criança de 10 anos morreu! Entrou para fazer uma tração na tíbia e trocar o gesso. Por falta de anestesista em sala, faleceu! Isso não vai mudar! Tem um inquérito em andamento, e mesmo assim, eles continuam fazendo tudo errado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pela iniciativa Thiago, acredito que mesmo a passos lentos vamos expor a vergonha deste hospital, estaremos todos juntos contra essa situação, em breve farei um post mais explicativo porque sem dúvida a internet é uma arma poderosa.

      Excluir